Relatórios de mercadoÚltimas notícias

Índice de Preços de Imóveis: Resumo e previsões anuais

Analisando os dados de preços de imóveis ao longo de vários anos, podemos começar a observar tendências e padrões a formarem-se ao longo do tempo. As informações do ano anterior podem ser utilizadas pelos agentes para tomarem decisões em termos de estratégias de planeamento e crescimento para o novo ano.

Embora nunca possamos ter certezas sobre o futuro, os padrões que emergiram ao longo deste ano foram certamente positivos.

Qual é o quadro geral para os preços dos imóveis em 2018?

Analisando os dados do Índice de Preços de Imóveis (HPI) do terceiro trimestre de 2018  do INE.es podemos ver um quadro extremamente positivo. Os números mostram um 18º trimestre consecutivo de crescimento do preço dos imóveis, com os preços médios dos imóveis a subir 7,2% em termos homólogos, tanto nas novas construções (crescimento de 6,1%) como nas revendas (crescimento de 7,3%). Os preços continuaram a exceder os níveis do início de 2012, antes do crash de 2007/8.

Que regiões tiveram um maior crescimento dos preços dos imóveis?

Embora em nenhum lugar se tenha observado o regresso aos preços máximos dos imóveis que obervámos no início desta década, algumas regiões certamente tiveram uma boa recuperação nos últimos tempos.

Enquanto as Ilhas Baleares tiveram o maior recuo entre todas as regiões, atingindo quase 90% dos seus máximos anteriores ao crash, Madrid alcançou o maior crescimento este ano. Com um aumento de 10,9% nos preços dos imóveis em 2018, a região cresceu para pouco mais de 80% dos seus maiores níveis registados.

Outras regiões que revelaram uma forte recuperação são a Andaluzia, as Ilhas Canárias, a Galiza, Múrcia, Valência e Catalunha, sendo que todas elas recuperaram pelo menos três quartos dos seus preços máximos. O forte crescimento dos preços nos últimos 12 meses foi observado na Catalunha (9,1%), nas Baleares (7%), La Rioja (6,7%), Cantábria (5,7%) e Castela e Leão (5,7%).

O aumento do preço dos imóveis nas regiões nortenhas de La Rioja e Castela e Leão foi impulsionado por novas construções – com um aumento de preços de 8,8% e 9,7%, respetivamente, em novas construções nessas áreas. Isto poderia ser motivado pela crescente popularidade do clima mais frio e das terras mais baratas do norte da Espanha, bem como pelo fácil acesso de comboio de alta velocidade a Madrid a partir dessas regiões.

 

O que esperamos de 2019?

O mercado está efervescente com o interesse dos investidores espalhados por todas as regiões da Europa e dos EUA. Esta dispersão de juros dá-nos confiança de que, apesar dos desafios políticos por toda a Europa Ocidental, devemos continuar a observar um forte crescimento e tendências ascendentes nos preços alcançados no mercado imobiliário espanhol para o novo ano.

Esperamos ver uma continuação da tendência atual de crescimento nas regiões continentais com fácil acesso à costa, já que os compradores fogem das ilhas com preços altos e procuram obter o máximo possível em troca dos seus suados euros.

 

O que isto significa para si?

Estes dados recentes de HPI devem lhe dar motivos para se sentir confiante nas perspetivas do mercado e procurar oportunidades para investir no crescimento dos seus negócios. Investir em regiões como La Rioja, Cantábria e Castela e Leão, que tiveram um forte crescimento de preços no último ano, mas que ainda não atingiram os seus máximos antes do crash, poderia trazer bons retornos até 2019.

Leave a Reply